Exper News - Matéria de Capa

Matéria Capa 19

 


Escola Senai Nami Jafet 67 anos de história

por Márcio Junior

A Escola SENAI surgiu em Mogi das Cruzes através de um convênio com a Fundação religiosa “Ana de Moura”. Essa Fundação tinha como objetivo oferecer formação profissional às crianças carentes da cidade. Como a Fundação não tinha condições de oferecer os cursos, seus diretores recorreram ao SENAI-SP, e propuseram uma parceria onde a Fundação disponibilizaria o prédio situado na Rua Senador Dantas, nº.326 e o SENAI proporcionaria a formação daquelas crianças.

Assim, em 09 de maio de 1945, foram iniciados oficialmente os trabalhos com uma oficina de tornearia, uma de ajustagem e outra de carpintaria.

A iniciativa do empresário Roberto Simonsen, possibilitou um ineditismo que até hoje serve de modelo para outros países. Criado em 1942, pelo Decreto Lei 4048/42, com o propósito de promover o desenvolvimento econômico a partir da qualificação de novos profissionais, formação continuada dos trabalhadores e apoio ao desenvolvimento de pesquisas tecnológicas de interesse para a indústria e atividades assemelhadas.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI se transformou num dos maiores orgulhos do meio empresarial brasileiro. Durante esses 70 anos de atividades, comemorado este ano, seu modelo serviu de exemplo aos países da América Latina, que criaram escolas profissionalizantes sob a orientação de seus representantes.

O SENAI surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, por meio de um consenso entre o governo federal e empresários liderados por Roberto Simonsen, então presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo - FIESP e Euvaldo Lodi, da Confederação Nacional da Indústria (CNI) com o propósito de promover o desenvolvimento econômico por meio da qualificação de novos profissionais.

O SENAI desde então é organizado e administrado pela Confederação Nacional e Federações Estaduais da Indústria e recebe contribuições previstas em lei, o que lhe garante continuamente recursos para sua ação e, ao mesmo tempo, a base institucional flexível para que, ao longo do tempo, responda adequadamente às demandas da indústria, a cada nova etapa do desenvolvimento nacional.

Sobre essa base comum, há de se considerar, também, que cabe a cada Departamento Regional do SENAI, instalado em um estado da Federação, adequar e adaptar seus objetivos em forma de ação às demandas das indústrias e às características econômicas e culturais da sociedade local. Depois de sua criação, SENAI-SP vem adaptando, continuamente, os seus ambientes de ensino, seus métodos e suas práticas às transformações do contexto econômico e social no qual ele intervém para realizar a sua missão. Sabe-se bem a que ponto a evolução tecnológica, os modos de organização do trabalho, a natureza e o nível do emprego afetaram esse contexto no curso das últimas décadas.

Valendo-se de uma maleável estrutura legal, pôde o SENAI-SP dedicar-se à concretização dos fins principais a que se ordena: ministrar cursos de aprendizagem industrial a interessados na faixa de 14 a 24 anos e ensino de continuação, aperfeiçoamento e especialização ao trabalhador adulto, e cooperar no desenvolvimento tecnológico da indústria brasileira.

Mesmo que assim estivesse vocacionado, o SENAI-SP não encontrou dificuldade para atuar em nível médio, ministrando o ensino técnico e, mais recentemente, o ensino superior de tecnologia, quando o empresariado industrial reconheceu necessária essa atuação, em face do aperfeiçoamento de técnicas de produção.

Assim, atento às novas e urgentes demandas surgidas no contexto de crescimento econômico e rápido desenvolvimento industrial, o SENAI-SP, ao longo da sua história, consolidou-se, expandiu-se e diversificou-se.

Para um organismo de formação profissional, a adaptação da sua oferta à evolução e à demanda do seu ambiente implica redefinir de maneira permanente as suas ações de educação profissional e seus objetivos, repensar os seus conteúdos, precisando os objetivos que eles concretizam, elaborar métodos e formas de organização que permitam ter em conta os requerimentos da indústria e as necessidades individuais das pessoas que devem ser formadas e, finalmente, ser capaz de pôr em prática esses programas, esses métodos e essas organizações.

Reconhecido pela sociedade em geral e pela indústria paulista em particular, o SENAI-SP oferece às empresas industriais e à comunidade serviços profissionais diversificados, posicionando-se como um provedor de soluções educacionais e tecnológicas em apoio às políticas que objetivam incrementar a competitividade da indústria brasileira.

Neste sentido, o SENAI-SP envida inúmeros esforços desenvolvendo seus recursos humanos, atualizando seus equipamentos, buscando modernas tecnologias e novas técnicas de gestão e de marketing, estabelecendo convênios com instituições nacionais e internacionais, visando, em última análise, dar ao seu cliente o melhor.

Para corresponder à demanda no campo da educação profissional, o SENAI-SP atua nas seguintes modalidades:
* Cursos de Aprendizagem Industrial;
* Cursos Técnicos;
* Curso Superior de Tecnologia;
* Formação Inicial Continuada (Escola e Empresa/Entidade);
* Educação de Jovens e Adultos – Novo Telecurso, além de inúmeros Serviços Laboratoriais e Certificação de Produtos.

A Escola SENAI “Nami Jafet” foi inicialmente denominada como Escola SENAI Zona C (Central), prefixo C-21 e iniciou suas atividades em 09 de maio de 1945, na Rua Senador Dantas, 326 - no centro da cidade, em prédio cedido pela fundação religiosa “Ana de Moura” que, segundo seus estatutos, era destinada à formação profissional de meninos e meninas pobres da cidade.

Nessa época, a média de matrículas variava entre sessenta e setenta alunos e os cursos disponíveis eram Torneiro Mecânico, Ajustador Mecânico e Marceneiro, além de um Curso Vocacional destinado a jovens de 12 a 14 anos (até 1953) com o objetivo de auxiliá-los na escolha profissional, o qual foi incorporado mais tarde pelo sistema de ensino da rede oficial do Estado.

A unidade permaneceu nesse local até 1962, quando suas instalações foram transferidas para o novo prédio, construído em terreno próprio cedido pela Prefeitura, localizado na Rua Otto Unger 390, em uma área de 8.544 m², sendo 4.423m² de área construída. Nela foram instaladas as oficinas, salas de aula, além dos setores administrativos, enfermaria, biblioteca, pavilhão social, cantina, copa, quadra de esportes e outras dependências de apoio e manutenção.

A Escola recebeu em 1964 sua atual denominação de Escola SENAI “Nami Jafet”, em homenagem ao empresário proprietário da Mineração Geral do Brasil Ltda., posteriormente Companhia Siderúrgica de Mogi das Cruzes S/A - COSIM, que contribuiu para a instalação da Escola SENAI, na região.

A Escola SENAI “Nami Jafet” atende os municípios de Mogi das Cruzes, Salesópolis e Biritiba Mirim.

Atualmente a Escola oferece o Curso de Aprendizagem Industrial nas qualificações de Mecânico de Usinagem, Ferramenteiro de Corte, Dobra e Repuxo, Ferramenteiro de Moldes para Plásticos e Eletricista de Manutenção, além dos Cursos Técnicos em Eletroeletrônica e em Processos de Fabricação Mecânica e inúmeros Cursos de Formação Inicial e Continuada.

A unidade vem, ano a ano, ampliando e diversificando suas formas de atendimento às indústrias e à comunidade desenvolvendo, além de seus cursos regulares, outros programas de educação profissional que possam satisfazer as necessidades diagnosticadas através das informações fornecidas pelas empresas.

Com esse foco, o número de matrículas nos últimos cinco anos dobrou, chegando a mais de oito mil por ano e os horários tiveram que ser otimizados para atender toda a demanda (o expediente da unidade é das 7h às 22h, de segundas-feiras a sábado).

Dentro dessa perspectiva, a Escola SENAI “Nami Jafet” vem passando por constante modernização resultante de crescentes investimentos recebidos, sejam em máquinas e equipamentos, como em recursos de infraestrutura física e recursos humanos para atender às demandas da evolução do mercado.

Foram recebidas Máquinas de Usinagem a CNC adicionais, com diferentes linguagens de programação, Máquinas de Eletro-erosão (a fio e por penetração), Máquina Injetora para Moldes Plásticos a CNC, Máquina de Controle Dimensional Programável e Tornos especiais (Tormax -30) mais apropriados para aprendizagem.

Um laboratório de Instrumentação Industrial com equipamentos de última geração foi instalado para atender às demandas da região e outros laboratórios, em especial de Hidráulica, Pneumática e Metrologia, foram modernizados.

O sucesso da indústria nacional na formação de mão de obra tem em comum o fato de seus colaboradores serem capacitados para ensinar com competências. Isso faz com que o pioneirismo de seus fundadores continue presente. Com o Know-how desenvolvido nesses anos, o SENAI prepara as gerações para enfrentar os desafios de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Convênios internacionais estão permitindo que o SENAI receba e transfira tecnologias mais avançadas, dispondo assim de laboratórios de última geração.

Mogi das Cruzes é um dos pólos mais importantes do Brasil no desenvolvimento de tecnologias, produção industrial e prestação de serviços.

O setor produtivo passa por mudanças em seus processos os quais influenciam nos perfis profissionais demandados pelo mercado de trabalho. Cada vez mais técnicos que atuam na área mecânica encontram maior complexidade nos equipamentos utilizados.

Com o Parque Industrial do Taboão, Mogi das Cruzes ingressa em uma nova fase de seu processo de desenvolvimento industrial e econômico. O distrito mogiano é o principal núcleo empresarial da Grande São Paulo, atraindo com sua logística, empreendedores dispostos a investir e gerar empregos no município.

Outro aspecto importante observado foi que, na cidade de Mogi das Cruzes e circunvizinhança, nenhuma escola SENAI ofertava o curso técnico em “Fabricação Mecânica”. A crescente evolução e o crescimento do mercado industrial gerou a necessidade de ampliação de profissionais para atuarem nessa área.

Há uma preocupação do setor na busca de mão de obra qualificada em diversos níveis, face aos resultados de expansão do mercado. As oportunidades de emprego serão abertas para os futuros alunos do Curso Técnico em Fabricação Mecânica.

Mais uma vez a Escola SENAI “Nami Jafet”, se antecipa às necessidades do parque fabril na região, preparando mão de obra especializada.

Esse novo profissional estará habilitado para participar do planejamento e controle dos processos de usinagem em equipes multifuncionais, programar, preparar e operar máquinas ferramentas a CNC, preparar e operar máquinas ferramentas convencionais, determinando as condições de usinagem, aplicando técnicas de otimização durante os processos de acordo com normas técnicas, ambientais, de qualidade, de saúde e segurança do trabalho.