Exper News - Matéria de Capa

Matéria Capa 25

 


Atitute: o que você pensa é o que você atrai

por Francisco Maciel Silveira*

A partir da percepção do meio social o indivíduo vai organizando informações recebidas, relacionando-as com afetos positivos ou negativos e desenvolvendo uma predisposição para agir favorável ou desfavorável em relação às pessoas e aos objetos presentes. A essas informações com forte carga afetiva, que predispõe o indivíduo para uma determinada ação comportamental, dá-se o nome de atitudes. Não tomamos atitudes (comportamento, ação), nós desenvolvemos atitudes que são as crenças, valores e opiniões em relação aos objetos do meio social.

Podemos definir como:
• Uma avaliação favorável ou desfavorável em relação a objetos, pessoas ou eventos;
• A manifestação de uma crença ou sentimento. Exemplo: Gosto de cinema.
• Propósito, disposição ou intenção de comportamento.
• É algo interno, que ocorre de dentro para fora. E entre a conscientização e a ação necessariamente deverá estar presente o sentimento como um elo de ligação. Ou você sente, ou você não muda.

O termo atitude é formado por três componentes: cognitivo, afetivo e comportamental. Ao contrário dos valores, as atitudes são menos estáveis. As atitudes são importantes dentro do contexto organizacional porque afetam o comportamento no trabalho e são sempre determinadas pela nossa percepção do que se passa a nossa volta.

Componente Cognitivo é constituído de nossos pensamentos, opinião ou convicção sobre o objeto da atitude.

Componente Afetivo é o objeto como alvo de sentimento pró ou contra. Consiste em nossas reações emocionais ao objeto. Atitudes de base afetiva originam-se dos valores da pessoa: crenças religiosas e valores morais básicos, de reações sensoriais: gostar do sabor de chocolate e de reações estéticas: admirar um quadro.

Componente Comportamental é a intenção de fazer, a maneira como a pessoa age.
Informações recebidas mais afetos são iguais à predisposição para agir.

Exemplo: Parar de fumar
• Componente cognitivo é o que penso do cigarro. Informações, crenças, opiniões sobre o cigarro.
• Componente afetivo é o que sinto em relação ao cigarro. Sentimentos que o objeto me provoca.
• Componente comportamental é a intenção de agir, de parar de fumar ou não.
• Ação/comportamento: Após todos os componentes da atitude se misturam, decido parar de fumar ou não (que corresponde à ação).

Percepções são a capacidade por meio dos cinco sentidos de adquirir conhecimento, formar ideias, conhecer, distinguir, compreender e entender o ambiente que nos cerca. É um processo através do qual as pessoas processam as informações que afetam os seus sentimentos e ações, suas e as de outras pessoas. As atitudes e o comportamento das pessoas baseiam-se na sua percepção da realidade, e não na realidade em si.

Atitudes relacionadas ao trabalho são um conjunto relativamente estável de sentimentos, predisposições e intenções comportamentais face a um “objeto atitudinal” específico. Quando se fala de atitudes em relação ao trabalho, referimo-nos aos sentimentos, crenças e tendências comportamentais, relativamente duradouros, face aos vários aspectos do próprio trabalho, do local onde é desempenhado e das pessoas envolvidas. As atitudes em relação ao trabalho estão ligadas a muitos aspectos do comportamento organizacional, incluindo o desempenho, o absentismo e a rotatividade voluntária.

Quando falamos em atitudes relacionadas ao trabalho devemos considerar aspectos que são fundamentais para a produção de resultados organizacionais: o envolvimento, o comprometimento e o empowerment psicológico, por exemplo.
O envolvimento com o trabalho é o grau com que uma pessoa se identifica psicologicamente com seu trabalho e considera seu desempenho nele algo valioso para si.

Já o Comprometimento Organizacional é a situação em que o trabalhador se identifica com a empresa (sua missão, visão e valores) e seus objetivos, o que a faz desejar se manter na organização. Atualmente, o que melhor reflete a força de trabalho é esse comprometimento ocupacional.

Nossos Comportamentos correspondem àquilo que é observável, quantificável, mensurável. Não é apenas determinado pelo o que as pessoas gostariam de fazer, mas também pelo o que elas pensam que devem fazer normas sociais, hábitos e pelas consequências esperadas de seu comportamento.

Empowerment psicológico é o quanto percebemos que somos contributivos, o quanto percebemos que agregamos ou somos necessários no espaço em que atuamos. O quanto aquilo que sugerimos é acatado ou implementado, o quanto percebemos que somos procurados pela relevância que temos a partir daquilo que fazemos. Essa atitude em relação ao trabalho deveria ser estimulada fortemente para garantir uma produção de resultados que fosse mais consistente e oportuna.

Comportamentos x Atitude: Comportamentos são a reação observável, quantificável e mensurável. Não é só determinado pelo que as pessoas gostariam de fazer, mas pelo que elas acham que devem fazer. São determinados pela intenção de realizar algo, que é influenciada pela atitude (avaliação positiva ou negativa que se efetua do comportamento a se realizar) e pela norma subjetiva (pressão social percebida para desempenhar o comportamento) Desta forma a atitude: é a tendência à reação, envolve o que as pessoas pensam, sentem e como elas gostariam de se comportar em relação a um objeto atitudinal.

O comportamento é determinado diretamente pela intenção de realizar, sendo esta, por seu turno, influenciada pela atitude, isto é, pela avaliação positiva ou negativa que o indivíduo efetua do comportamento a desempenhar e pela norma subjetiva (pressão social percebida para desempenhar ou não o comportamento). A norma subjetiva forma-se a partir da percepção que cada indivíduo tem sobre os comportamentos que são “lícitos” ou “ilícitos” segundo os seus grupos sociais de referência.

Entretanto, contrariamente ao que foi discutido até agora, de acordo com a teoria da Autopercepção as mudanças de comportamento podem conduzir às mudanças de atitudes. Esta teoria argumenta que as atitudes vêm depois do fato consumado, para dar sentido a uma ação (reação, comportamento) que já ocorreu, e não como guias que dão orientação prévia a uma ação. Para esta teoria, as Atitudes não são a causa e nem predizem comportamentos, elas decorrem de comportamentos já materializados. Exemplo parar de fumar.
• Componente cognitivo: É o que penso do cigarro. Informações, crenças, opiniões sobre o cigarro.
• Componente afetivo: É o que sinto em relação ao cigarro. Sentimentos que o objeto me provoca.
• Componente comportamental: É a intenção de agir, de parar de fumar ou não.
• Ação/comportamento: decido parar de fumar ou não.

Por essa teoria, a mudança de comportamento (parar de fumar pode implicar na mudança dos três componentes atitudinais. Pode implicar numa mudança em relação ao que se pensa, sente e quer fazer em relação à prática de fumar.

Mas as nossas atitudes estão sempre sujeitas à distorção, quase como se pudéssemos dizer que nossas atitudes existem para ser distorcidas e nossa atenção estivesse voltada para eliminar tais distorções. Sempre que nossos comportamentos estão em desacordo com nossa atitudes ou que os componentes de nossas atitudes são contrários entre si estamos em dissonância cognitiva. Assim, Dissonância cognitiva é qualquer incompatibilidade que a pessoa perceba entre duas ou mais de suas atitudes, ou entre o seu comportamento e as suas atitudes. O desejo de reduzir a dissonância é determinado pela importância dos elementos criadores da dissonância, pelo grau de influência que a pessoa acredita que tem sobre os elementos e pelas recompensas que podem estar envolvidas na discrepância.

Existem várias vias para reduzir a dissonância: mudar o comportamento; concluir que o comportamento dissonante não é - assim tão importante; mudar de atitude ou, ainda, procurar elementos mais consonantes para pesarem contra a dissonância. Para justificar a decisão tomada e evitar a dissonância cognitiva podemos mudar a forma como sentimos, alinhando as nossas atitudes com nossos sentimentos.

Ajuste: dirige as pessoas para objetos agradáveis e afasta-as dos desagradáveis. “O cigarro é para algumas pessoas um prazer e para outras é negativo, por isso o rejeitam”.

A defesa do eu: Atitudes formadas para proteger o EU ou a autoimagem contra as ameaças que atentam contra a percepção de si mesmo: .“As pessoas que gostam de cigarro defendem-no e não o reconhecem como prejudicial à saúde”.

Expressão de valores: Permite ao indivíduo manifestar os seus valores centrais ou o seu conceito de si mesmo: “Com o cigarro, algumas pessoas pretendem expressar um valor de rebeldia.

Conhecimento: Permite ao indivíduo se organizar e estruturar o mundo, procurando dar significado e organização às percepções. “Em relação ao tabaco dever-se-ia conhecer as suas vantagens (para as pessoas) e as suas desvantagens”.
Um dos passos mais importantes que você pode tomar para alcançar o seu maior potencial na vida é aprender a controlar a sua atitude e seu

impacto sobre seu desempenho no trabalho, relacionamentos e todos ao seu redor. A dissonância cognitiva é uma poderosa forma de reduzir nossa produção de resultados na vida pessoal ou na organizacional, daí a necessidade de estar sempre atento aos efeitos nefastos que ela pode ocasionar.

As pessoas não sabem se estão com fome ou com os seus pés doendo, e não têm um bom controle sobre a sua atitude. Isso é um erro, porque a atitude é tudo. Ele governa a maneira como você percebe o mundo e como o mundo percebe você.

Todos nós temos uma escolha. Podemos escolher um diálogo interno de autoencorajamento e automotivação, ou podemos escolher uma de autoderrota e autopiedade. É um poder que todos nós temos. Cada um de nós têm sentimentos de mágoa, dor de cabeça, e dor física e emocional. A chave é perceber que não é o que acontece com você que importa, é como você escolhe responder ao que lhe ocorre.

Sua mente é um computador que pode ser programado. Você pode escolher se o software instalado é produtivo ou improdutivo. Seu diálogo interno é o software que os programas de sua atitude, que determina como você se apresenta para o mundo. Você tem controle sobre a programação. Tudo o que você colocar nele se reflete no que vem de fora.

Todos nós temos padrões de comportamento que foram programados em nossos cérebros desde uma idade muito tenra. A informação que foi gravada por nosso cérebro poderia ter sido completamente imprecisa ou cruel. A triste realidade da vida é que vamos continuar a ouvir informações negativas, mas não temos que programá-la em nossos cérebros.

A voz mais alta e mais influente é a nossa própria voz interior. Ela pode trabalhar a favor ou contra você, dependendo das mensagens que você permitir pode ser otimista ou pessimista. Ela pode te deixar para baixo ou animá-lo. Você controla o emissor e o receptor, mas somente você conscientemente assumir a responsabilidade e controle sobre sua conversa interna.

Atitudes ruins são muitas vezes produto de experiências passadas e eventos que nos marcaram negativamente. As causas comuns incluem baixa autoestima, estresse, medo, ressentimento, raiva e uma incapacidade de lidar com a mudança. É preciso um trabalho sério para examinar as raízes de uma atitude prejudicial, mas as recompensas de livrar-nos dessa bagagem pesada podem durar uma vida.

Aqui estão 8 estratégias para melhorar a sua atitude:

1• Autocoaching através de afirmações repetidas afirmações várias vezes por dia, todos os dias, servem para reprogramar seu subconsciente com o pensamento positivo. Uma afirmação é feita de palavras carregadas de energia com convicção e fé. Você envia uma resposta positiva ao seu subconsciente, que aceita o que quer que você diga a ele. Quando feito corretamente, esta desencadeia sentimentos positivos que, por sua vez, orientam a ação.

2• Automotivação é descobrir o que motiva você, o que incita você a tomar medidas para mudar sua vida. Motivos básicos incluem amor, autopreservação, a raiva, o ganho financeiro e medo. Automotivação exige entusiasmo, uma perspectiva positiva, uma fisiologia positiva (andar mais rápido, sorriso, sente-se), e uma crença em si mesmo e seu potencial dado por Deus.

3• O poder de visualização: Estudos da psicologia do desempenho de pico têm encontrado que a maioria dos grandes atletas, cirurgiões, engenheiros e artistas usam afirmações e visualizações, consciente ou inconscientemente, para melhorar e focar suas habilidades. Nelson Mandela tem escrito extensivamente sobre como visualização ajudou a manter uma atitude positiva ao ser preso por 27 anos. “Eu pensei que continuamente do dia, quando eu ia a pé livre. Eu fantasiava sobre o que eu gostaria de fazer”, escreveu ele em sua autobiografia. Visualização funciona bem para melhorar a postura.

4• Discussão Interna é o diálogo positivo, é uma maneira de substituir a sua programação negativa, apagando ou substituindo-o por uma positiva, a voz interna positiva ajuda a enfrentar novas direções. Sua conversa interna age como uma semente em seu cérebro e afeta o seu comportamento. Dê uma olhada no que você está dizendo a si mesmo.

5• O Poder da palavra, uma vez liberada para o universo não pode ser retomada. O que falamos reflete o que já está em nossos corações com base em todas as coisas que vieram e acreditamos. Se julgamos ou depreciamos as coisas em torno de nós, sabemos que a condição de nosso coração precisa mudar. Você pode criar um caminho direto para o sucesso, no que você diz. O Poder de uma saudação positiva: Se te perguntarem como está, diga que está ótima. Entusiasmo é uma ferramenta vital para ficar motivado. Entusiasmo é a atitude que a respiração é para a vida. Entusiasmo permite que você aplique seus presentes de forma mais eficaz. É o desejo ardente que se comunica determinação, empenho e espírito. Entusiasmo significa colocar-se em movimento. É um espírito interno que fala através de suas ações de seu compromisso e sua crença no que você está fazendo. É uma das características mais fortalecedoras e atraente que você pode ter.

6• O último nível de necessidade humana se estende para o reino espiritual. Assim como nos alimentamos nossos corpos em resposta à nossa necessidade primária para sobreviver fisicamente, precisamos alimentar nosso espírito, porque somos seres espirituais.

7• Clarear a sua vida com humor, o humor é um poderoso motivador. Quanto mais o humorado menos estresse vai ter, o que significa mais energia positiva para ajudar a colocar a sua atitude em ação.

8• Exercício vai ajudar a mantê-lo motivado, Uma das melhores maneiras de se mover para um quadro mais positivo e motivado de espírito é exercitar. Uma rotina regular de exercícios pode fornecer relativamente rápido feedback positivo na forma de perda de peso, o desenvolvimento muscular e uma sensação de fazer algo de positivo para si mesmo.

Procure o seu sucesso pessoal e profissional, usando as ferramentas deste kit que poderíamos chamar de ferramentas para melhorar nossas atitudes. Não é nenhum segredo que a vida parece recompensar a maioria de nós, quando nos aproximamos do mundo com uma atitude positiva.

* Francisco Maciel Silveira Filho é Professor Mestre das Universidades Presbiteriana Mackenzie e Salesiana. Psicólogo Clínico. e-mail: macielsf@uol.com.br