Exper News - Entrevista

Entrevistado


Cláudio Abreu

Jornalista e escritor gaúcho assume presidência da Associação Brasileira de Consultores e Palestrantes.

Ambiente corporativo, ética, liderança, carreira, gestão em meio ao caos da pós-modernidade, escolhas e desafios, a construção de um pensamento e de uma prática original, que expresse em sua essência o DNA do pensar Latino-Americano, foram temas explorados com nosso convidado, o gaúcho Cláudio Antônio Rodrigues de Abreu, presidente eleito da ABCP – Associação Brasileira de Consultores e Palestrantes, entidade recém fundada e que passa a representar profissionais que prestam serviços de consultoria, coachs e palestrantes.

Exper -  Quais os fatores que influenciaram para a criação da ABCP?
Cláudio Abreu/ABCP:
Diversos fatores contribuíram para consolidar a certeza de que a existência de uma entidade associativa muito poderia auxiliar o amadurecimento das atividades desenvolvidas pelos profissionais que atuam neste importante setor. É fundamental que construamos instrumentos e ferramentas que possam medir o real impacto e a real importância do nosso papel no mundo corporativo. Uma coisa é realizarmos uma palestra em uma universidade, voltada para o mundo acadêmico ou científico em que o pensar e o saber são elementos essenciais e cotidianos daquelas pessoas. Outra coisa é desenvolvermos aptidões para dialogar com os diversos públicos que compõem o mundo corporativo. Posso dizer que a criação da ABCP é fruto de profundo exercício de reflexão muito sincera que realizamos com diversos grupos de profissionais. A ABCP é fruto de convergência de pensar de dezenas de profissionais preocupados em entender este momento vivido pela sociedade. Em compreender o cenário global, identificar melhor os novos códigos, os novos valores e apropriar-se das novas linguagens da pós-modernidade para mediar conflitos, para construir pontes, para derrubar barreiras e para aplainar caminhos.

Exper -  Como o senhor define aquilo a que denominou mundo corporativo?
Cláudio Abreu/ABCP:
O iluminismo nos prometeu a possibilidade de habitarmos e vivenciarmos as delícias de paraísos terrestres. O acesso a essa experiência paradisíaca deveria ser trilhado sobre duas rodas: A racionalidade técnica e científica e a Universalidade do Sujeito. A ciência assumiu o papel até então ocupado pela religião na Europa. Tornou-se a ideologia, o pensamento interpretativo dominante. A consolidação desse ideal exigiu eliminar do mundo ocidental a filosofia, a arte, a literatura, as atividades e vivências que permitissem que o indivíduo experimentasse crescimento interior e esperança. Este vácuo, no entanto, acabou sendo preenchido pelo pensamento político e empresarial. Ambos, acima de tudo, abstraindo outros debates, movidos pela perspectiva do lucro, da vantagem e do poder. Ocupar espaços, ser hegemônicos são parte da essência desses dois universos sociais. Foi-nos extirpada a capacidade de ouvir o outro. No ocidente o outro aparece apenas virtualmente no papel de vilão, quando concorrente, mão de obra quando empregado ou consumidor quando cidadão. Não existe lugar para o outro em nossa sociedade ocidental em que produzir lucro, obter lucro transformou-se numa espécie de mantra. O ambiente corporativo pode muito bem ser visto como uma espécie de síntese dessa relação entre o self e o outro. Os anos 50 anunciaram a ruína da modernidade com seu caráter coletivo. Acabou ela perdendo espaço para uma nova cultura dominada pelo hiperindividualismo. Imagine você o caos que bate a nossa porta. E isso não pode passar despercebido pelo consultor ou palestrante, pelo coach que realmente está imbuído do espírito de mediação de conflitos, de construção de vidas e da emancipação de profissionais e líderes.

Exper -  De que forma pode o consultor ou palestrante impactar com seu saber interferindo nesse cenário ou nesse ambiente?
Cláudio Abreu/ABCP:
Ao meu ver é o debate que precisa ser desencadeado pelos profissionais, com o intuito de tornar efetivamente indispensáveis os serviços oferecidos ao mundo corporativo. Como mediaremos os conflitos originados pela pós-modernidade entre os interesses empresariais e as necessidades reais de valor e sentido do contingente de pessoas que formam as bases das corporações? Como apresentaremos formulações legítimas que tenham verdadeiro efeito, e não somente verdadeiro, mas efeito duradouro para a construção de organicidade, sentimento de adequação, formulações que elevem verdadeiramente a autoestima ou a autoimagem dos profissionais de todos os níveis de uma corporação. O que será preciso fazer para abrirmos mão dos truques e das fórmulas prontas oferecidas pelo iluminismo e pela velha e combalida modernidade? A ABCP tem o compromisso estatutário de promover colóquios, congressos, seminários e todo tipo de troca de experiências com o objetivo de que os profissionais que atuam no segmento possam tornar sua atividade reconhecida como vital e indispensável aos universos afins. Precisamos conhecer com profundidade os verdadeiros fatores que impactam negativamente a vida profissional dos servidores públicos, os professores, os líderes empresariais e demais profissionais.

Exper -  O senhor tem falado com frequência sobre fórmulas ultrapassadas, práticas ultrapassadas, receitas de bolo, tudo isso como sendo produto da modernidade. O que o senhor quer dizer com isso?
Cláudio Abreu/ABCP:
A modernidade nos presenteou com a tecnologia e suas muitas vantagens. Contudo, falhou no principal abandonando-nos órfãos em pequenos paraísos artificiais. O poder e o dinheiro não têm livrado a humanidade inteira da depressão, do vazio e da perda de significado para a vida. Prometer felicidade através do caminho do sucesso em vendas ou por ser o primeiro da turma é no mínimo falta de imaginação.  Semanas atrás participei de uma aula inaugural de uma universidade famosa de meu estado. Não dormi, mas a atuação do palestrante me transportou para meus 19 anos, quando decidi fazer parte da força de vendas da antiga empresa sueca Facit. Preocupada com sua força de vendas e zelosa quanto a sua reputação impunha árduo treinamento a suas equipes.  Já fazem 46 anos desde aquela longínqua data, mas o palestrante parecia o mesmo. Os mesmos truques, as mesmas firulas, o mesmo argumento, as mesmas ultrapassadas convicções. Tenha dó. Será que ninguém o avisou que o mundo mudou e que ninguém mais acredita em bicho papão? Aí a gente ouve dos empresários e de muitos RHs: Nossas experiências com encontros motivacionais não têm obtido o sucesso desejado.  Humor artificial, exerciciozinho para um aquecimento inicial, e ensinar sobre linguagem verbal, paraverbal e não verbal, troque o disco por favor. Onde estão os sociólogos, os filósofos os cientistas sociais para nos ajudar nessa reflexão? Sobre que plataformas estamos conduzindo nosso carro?  Quem não sabe ouvir não tem autoridade para dar orientar ou interferir no andamento da vida dos outros.

Exper -  A ABCP já tem planos para a realização desses encontros de debates?
Cláudio Abreu/ABCP:
Havia um grupo que tinha como meta a realização de um evento ainda em Junho, em Canela. Seria o 1º Congresso Brasileiro de Consultores e Palestrantes. Mas de tudo que se discutiu não conseguimos firmar convencimento sobre a solidez dos temas aventados e se decidiu por amadurecermos melhor essa ideia. Organizar e dar sentido orgânico para nossa associação, construir um endereço virtual que nos represente de forma dinâmica e eficiente, filiar o maior número de profissionais possível para tornar a entidade uma referência para o mercado são prioridades de nossa gestão, sem perder de vista, evidentemente a realização de, pelo menos um colóquio de consultores e palestrantes ainda em 2014. É claro que o evento será fruto do diálogo e de sugestões oferecidas por nossos colegas de todo o Brasil. Obtendo sucesso na realização deste primeiro evento nacional quem sabe realizemos o Primeiro Colóquio Latino-Americano.

Exper -  E os profissionais que quiserem filiar-se a Associação Brasileira de Consultores e Palestrantes, como farão para acessar as informações?
Cláudio Abreu/ABCP:
Todo contato será muito bem vindo. Como se trata de uma entidade muito nova toda colaboração será muito bem vinda. De qualquer ponto do país o colega envia seu pedido de filiação que será prontamente atendido. Igualmente serão esclarecidas eventuais dúvidas dos colegas consultores, coachs e palestrantes. Estamos em fase de construção do site definitivo que em breve será nossa ferramenta efetiva mas enquanto isto estaremos atendendo também pelo fone 54 3039 9735 e pelo email abreuabc@hotmail.com e nosso endereço é: Av Itália, 482, bairro São Pelegrino - Caxias do Sul/RS.