Exper News - Entrevista

Entrevistado


Angelo Biancolin

Exper News: O que o levou a ingressar na vida pública?
Angelo Biancolin:
A indignação por não ver resultados da maneira como deveria ser a gestão pública de nossa cidade. A falta de comprometimento com o cidadão, são as razões pelas quais me impulsionaram a estar dentro do processo e provar que podemos fazer melhor, de maneira diferente.

Exper News: Fale um pouco de você, quem é Angelo Biancolin?
Angelo Biancolin:
Um cidadão com 53 anos, Poaense de fato, com raízes fincadas em Poá com toda minha família, conhecendo as necessidades as falhas desde de sempre, com uma visão que tudo poderia ser melhor. Aqui trabalhei quase toda minha vida com fotografia comercial, onde me dedico a mais de trinta e cinco anos, e pelo fato de estar sempre no comércio e a farta relação com as pessoas comecei a me inteirar mais profundamente das necessidades da população e o quanto é necessário ser comprometido para que realmente as coisas aconteçam. Afinal só valoriza o meio em que se vive quando se faz parte dele, e não os paraquedistas que aqui caíram e só levaram o fruto de nosso trabalho para muito longe daqui deixando só a desilusão para aquele que o depositou toda sua confiança. Dediquei 10 anos na Associação Comercial e Industrial de Poá, onde aprendi muito da realidade comercial de nossa cidade, participei ativamente dos movimentos de mudança de nosso município, onde o desenvolvimento parecia ser impossível de se concretizar dado aos vícios do passado. Mas hoje a resposta esta aí, e muita gente colaborou para ver esse resultado. Mas sei que posso colaborar ainda mais, não basta o que aí está, Poá tem muito que crescer ainda, e a minha vida é esta cidade.

Exper News: No quesito desenvolvimento industrial, quais serão os maiores desafios para a administração?
Angelo Biancolin:
Hoje vejo que a maior dificuldade de um passado não muito distante era a vontade de fazer, mas no momento, com essa atual administração os problemas já não existem mais, o prefeito Marcos Borges nos dá autonomia e força para concretizar projetos que realmente venham beneficiar a cidade e os cidadãos, porque acredita que se impulsionarmos o setor Industrial apagaremos a falta de vagas no mercado de trabalho e automaticamente dando qualidade de vida aos poaenses. Já existem dois grandes projetos de Condomínios Industriais sendo elaborado com muito critério e responsabilidade.
Sendo analisado também a criação de postos de qualificação profissional para que possamos abastecer essas empresas que aqui irão se instalar, aumentando a oportunidade de emprego com melhores salários.

Exper News: O que os empresários podem esperar a curto e a médio prazo da secretaria de desenvolvimento?
Angelo Biancolin:
Em primeiro lugar o comprometimento com o crescimento ordenado, sólido, sem riscos para seu investimento, iniciando com a Lei de Incentivo Fiscal, já em fase de acabamento, onde em muito irá colaborar com a redução dos custos para os empresários, sem refletir em renúncia fiscal para o município, ao contrario trazendo cada vez mais o empresário comprometido com o crescimento de nossa cidade.
Os Condomínios Industriais voltados para o campo da Tecnologia e Serviços, garantidos com projetos de ultima geração, onde a preocupação com o meio ambiente vem em primeiro lugar, mantendo a qualidade de vida do cidadão e do trabalhador local. Muitos outros projetos estão sendo estudados na intenção de melhorar a qualidade de vida dos poaenses, onde aqui poderão estudar e trabalhar sem o transtorno de grandes viagens de ida e volta ao seu trabalho, tendo como resultado um melhor desempenho em suas funções colaborando com uma maior produtividade. Essas propostas realmente são de grande valia aos empresários que aqui venham se instalar, deixando os numa condição muito confortável para as contratações de seus colaboradores.

Exper News: A Secretaria tem algum projeto direcionado especificamente às micro e pequenas empresas?
Angelo Biancolin:
Sim, alias as Micros são de suma importância para o mercado de trabalho poaense, pois elas conseguem abrigar um grande número de vagas, pelo fato de não possuir muita automação. Com isso, quanto mais micros e pequenas empresas tivermos, mais segurança de emprego teremos, inclusive a instalação de Incubadoras de Empresas fortalece o sucesso das Micros, e isso já faz parte de nossos estudos dentro dos Condomínios Industriais, aonde terão espaço reservados para as Micros também.

Exper News: Que ações a Secretaria de Desenvolvimento tem feito para atrair novos investimentos e empresas para Poá?
Angelo Biancolin:
Estamos trabalhando muito na intenção de facilitar a vida do empresário que vier a se instalar em Poá, e uma das medidas de incentivo são as entradas e saídas do Rodoanel para que possamos estar conectados com esse grande fluxo de distribuição de mercadorias, a facilidade da Logística faz com que se torne Poá mais atrativa a sediar muitas empresas novas. E muitos outros projetos estão em estudos com a única intenção de trazer muitas empresas para Poá.

Exper News: Poá tem passado por grandes transformações nos últimos anos. Como o governo municipal esta se preparando para a recepção destes investimentos, como a cidade tem sido planejada, como tem sido as ações para a recepção destes investimentos?
Angelo Biancolin:
Na verdade estamos projetando Poá para os próximos 20 anos, com estudos voltados para um novo centro comercial, sem a ideia de Shopping na área central, mas sim construções verticalizadas afim de um aproveitamento maior das áreas centrais, pensando também nas vagas de estacionamento tão reduzidas hoje em dia, corrigindo assim toda infraestrutura central para melhor atender as necessidades dos consumidores.

Exper News: Na sua opinião o que as pessoas precisam para se sentir cidadãos e o que a administração está fazendo a respeito?
Angelo Biancolin:
Bem em primeiro lugar a seriedade e transparência na Gestão, coisa que hoje existe uma preocupação e um comprometimento do governo Marcos Borges em demonstrar que isso esta sendo via de regra nesta nova administração. Outra coisa é o comprometimento com as diferenças, respeitando o direito individual de cada cidadão, ouvindo e atendendo suas necessidades. Tem muito a ser feito, e a população tem o direito de cobrar com muita veemência todas as necessidades básicas.

Exper News: Como vê o futuro econômico de Poá?
Angelo Biancolin:
Muito promissor o futuro de Poá, afinal é uma cidade pequena com um bom orçamento, tem tudo para ser a cidade mais bonita do Alto Tietê. Se pensarmos bem com toda essa crise hídrica nós temos a melhor água do mundo, sendo assim a muito que ser explorado, e isto já vem sendo estudado pela nova administração, que deseja colocar Poá no patamar de uma das melhores Estância Hidromineral do país. Tenho certeza que isso irá acontecer em bem menos tempo que todos imaginam.

Exper News: Com relação ao emprego, o que o município fará para lidar com a ociosidade dos jovens?
Angelo Biancolin:
Bem, hoje já existem projetos que incluem o campo da música e das artes cênicas, pois com a inauguração do Teatro Municipal, muitos jovens terão seu tempo preenchido com cultura de alto nível. A preocupação em qualificar o jovem para o mercado de trabalho já se mostra eficaz contra o ócio, pois os cursos de qualificação têm se tornado interessante para quem busca sua identidade profissional. Nossa busca em trazer uma FATEC para Poá já é realidade, inclusive já existe o espaço liberado para esta instituição.

Exper News: Quais os recursos que a Prefeitura vai utilizar para acompanhar as tendências do mercado e estar sempre inovando?
Angelo Biancolin:
Sei que avançamos muito nos projetos, mas percebemos que ainda há um certo descompasso entre a realidade interconectada, veloz, global e nossa capacidade de criar e implementar normas que tornem o dia a dia do setor publico mais produtivo. Isso é mais importante que propriamente os recursos investidos nos programas e projetos, porque faz a coisa acontecer. Não é uma tarefa fácil. Mas já mostramos que é possível desburocratizar, desonerar e garantir acesso a crédito, inovação e novos mercados. E mais, mostramos que esta postura garante resultados positivos para todos os elos da cadeia, observe que a nível nacional quase 10 milhões de pequenos negócios formalizados, que geram 25 milhões de empregos, abrem novos postos de trabalho em número maior que as médias e grandes, são responsáveis por quase 1/3 do Produto Interno Bruto e recolheram aos cofres públicos (federal, estaduais e municipais), mais de R$ 50 bilhões no ano passado. Partindo disso o nosso maior recurso local é a inovação, ou seja fazer com que as coisas realmente aconteçam sem aquele desgaste de tempo desnecessário, que para o empresário custa dinheiro.