Exper News - Liderança

Liderança

 


Conheça os mimos que os bancos oferecem aos milionários

por Danylo Martins

Eventos exclusivos com marcas de luxo, cursos de herdeiros e ingressos para sessões fechadas de shows, exposições, peças de teatro e torneios esportivos. Esses são apenas alguns exemplos dos "mimos" que os bancos oferecem aos clientes do private banking, segmento especializado no atendimento a milionários.

Para fazer parte do seleto grupo do segmento private, cada banco estipula uma "nota de corte". Bradesco e Santander usam a mesma medida: é necessário ter, no mínimo, R$ 5 milhões em aplicações financeiras. Já no Citi, o cliente precisa ter patrimônio acima de US$ 25 milhões.

No Brasil, são cerca de 112 mil famílias nessa posição privilegiada, a maior parte em São Paulo e no Rio de Janeiro. Juntos, os endinheirados tinham R$ 831,6 bilhões em aplicações financeiras em dezembro, segundo os dados mais recentes da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Para encantar os milionários, os bancos apostam em formação para herdeiros, no Brasil e no exterior. No Santander, por exemplo, os filhos de clientes participam de cursos em universidades como Columbia e Babson, nos Estados Unidos, e IE University, na Espanha.

O Bradesco promove, em São Paulo, um evento anual para os filhos dos clientes, com idade entre 22 e 32 anos. "São palestras e workshops sobre como se preparar para a sucessão empresarial, tanto como CEO quanto como membro do conselho [de administração]. Quando você faz para os filhos, acaba sendo algo que o pai ou mãe dá valor", afirma João Albino Winkelmann, diretor do Bradesco Private Bank.

Os herdeiros dos clientes também são um dos principais focos do Citibank. O banco oferece um programa de formação para quem tem entre 30 e 45 anos, abordando temas de tecnologia, planejamento sucessório e liderança. O banco também promove, em Boston (EUA), um encontro entre famílias, com no mínimo duas gerações, para discutir temas como sucessão e transição em negócios familiares.

Para cativar os clientes endinheirados, os bancos lançam mão do que há de mais exclusivo. O cardápio inclui palestras com economistas renomados, sala VIP em aeroportos e convites para pré-estreias e sessões fechadas de shows, peças de teatro, exposições e outros eventos patrocinados pelas instituições financeiras.

Durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no ano passado, o Bradesco levou alguns clientes selecionados e seus filhos para acompanhar algumas modalidades esportivas. No Santander, fazem parte da lista de mimos ingressos para a Copa Libertadores e convites para assistir às corridas da Fórmula 1 em espaços exclusivos.

O atendimento rápido e sob medida é valorizado pelos clientes do private banking, que contam com um profissional de confiança, conhecido como "banker". Responsável por cuidar do patrimônio e da carteira de investimentos, o "banker" também orienta em questões financeiras da empresa do cliente e em processos de sucessão e ajuda com necessidades pontuais, como comprar moeda estrangeira.

"O banker é uma espécie de 'embaixador' do cliente, conhece todos os detalhes da vida financeira daquela pessoa ou família. Por isso, o trabalho desse profissional é atender todas as necessidades do cliente, que quer resolver tudo em um único lugar", afirma Winkelmann, do Bradesco.

Uma cesta de investimentos diversificada e bem administrada é prioridade para esse tipo de cliente, segundo os bancos. Quanto maior a quantia aplicada, maior é o acesso a produtos mais sofisticados. A gama de produtos ofertada pelos bancos inclui, por exemplo, imóveis no exterior e fundos exclusivos –nesse caso, o investidor torna-se o único cotista de uma carteira composta por papéis de renda fixa, renda variável e aplicações em outros países.

Você tem jeito para ser rico ou pobre? Está sempre devendo ou poupa todo mês? Não pensa em aplicar ou sabe bastante sobre investimento? Descubra neste teste qual seu perfil nas finanças e veja dicas do educador financeiro Robinson Trovó para melhorar a relação com o dinheiro.